Contador de Visitas do Galos de Combate

DVD CRIAÇÃO E MANEJO DO GALO COMBATENTE: Contato nelson.dmaio@gmail.com

DVD CRIAÇÃO E MANEJO DO GALO COMBATENTE: Contato nelson.dmaio@gmail.com
UMA VERDADEIRA AULA DE GALISMO. E-MAIL PARA CONTATO É: nelson.dmaio@gmail.com, CLIQUE NA IMAGEM PARA VER COMO COMPRAR E VER CONDIÇÕES DE PAGAMENTO E ENVIO. DESTE EXCELENTE DVD. AO REALIZAR SUA COMPRA VERIFIQUE SEU E-MAIL, E ESPECIFIQUE QUAL O DVD QUE QUER COMPRAR, POIS O LINK É O MESMO DO TORNEIO

DVD TORNEIO GALOS DOMINICANOS

DVD TORNEIO GALOS DOMINICANOS
TORNEIO PROFICIONAL COM FILMAGENS DA MAIS ALTA QUALIDADE SÃO MAIS DE 40 COMBATES TODOS DECIDIDOS EM MENOS DE 10 MINUTOS POR NOCAUTE, SÓ DERRUBAS. SÃO COMBATES EXTREMAMENTE EMPOLGANTES É EMOÇÃO POR CIMA DE EMOÇÃO

CARACTERÍSTICAS DE COMBATIVIDADE

CARACTERÍSTICAS DE COMBATIVIDADE
O que parece é que não há duas pessoas que coincidam a 100% a forma de que o galo deva pelear. Assim depois de terminar um combate raras vezes se chega a um acordo para se determinar porque tal galo ganhou e o outro perdeu.
Quando se trata de analisar como e porque do resultado do combate, muitas vezes o espectador vê com mais claridade e realismo do que o galista envolvido, a diferença é que este está livre de qualquer paixão e prejuízo.
Por isso é de vital importância que o criador imagine e busque sempre um “protótipo” do galo ideal quanto a suas características e estilo de combate.
sentimentalismo nunca terá sucesso como criador. Falamos de algumas características básicas para um galo reprodutor como: cortador (esporeador), classe, poder (vigor), resistência, equilíbrio e da ausência de defeitos no estilo de combate. Há também um grande número de qualidades complementares as anteriores que também devem ser consideradas e avaliadas ao examinar um galo candidato a reprodutor. Deve-se ter uma lista e a cada ano, ao formar as cruzas, confronta-las com as características do galo que se gostaria de cruzar. Muitas vezes nos esquecemos de quanto
elas são importantes. Eis algumas:



1) Rapidez – a rapidez tem várias formas:
a) Rapidez para aproveitar as oportunidades, os erros do adversário durante o transcorrer do combate.
b) Rapidez para impor-se, dominar e manter o adversário sob seu domínio sem que este se acomode.
c) Rapidez para rebater e repetir pela segunda vez com a mesma mordida. É o que os boxeadores chamam de “ Um
Dois”, com muita freqüência o “Dois” pega o adversário fora da posição de defesa.
d) Rapidez para disparar ao sentir a bicada do adversário.
e) Rapidez de reflexos, isso pode-se melhorar nos treinamentos mas já devem ser herdados, não devemos esquecer.
2) Altura – que pelei alto, é sempre uma vantagem o galo que pelea por cima. Alguns galos têm na forma natural essa tendência em contrário com outros que se metem em baixo. Ambos os estilos são herdados, portanto cuidado com esse aspecto quando analisar um galo para cria.
3) Alcance – são os galos que primeiro acertam seu adversário. São capazes mesmo de longa distância, sem presa, de desferir golpes certeiros. O adversário sofre o golpe com os dois pés ainda no chão sem conseguir defender-se.
4) Arrematador – alguns galos tendem a afrouxar ao passo que vão dominando seu oponente. Isso é um mal pois dá ao adversário oportunidade de recuperar-se. O galo deve sempre aproveitar a vantagem e não dar descanso, procurando conserva-la, arrematando o quanto antes seu adversário.
5) Que não baixe a cabeça – é um defeito sério que devemos sempre evita-lo.
6) Peleadores, brigadores – galos sempre combativos, sempre agressivos, disparando seus tiros sem titubear, caindo bem para voltar a disparar instantaneamente. Acertadores em cada disparo “galos vivos”, em constante movimento, nunca sendo um alvo imóvel para seu oponente.
7) Não se atenha – antes de concluir este capítulo, quero enfatizar a afirmação feita no início, onde dizíamos que não há duas pessoas que coincidam em suas opiniões. Sugiro não se ater a opiniões de terceiros. Você que é criador é quem deve em última instância selecionar o galo para cria, não deixem que outras pessoas em seu lugar façam isso. Você deve buscar aquelas qualidades que quer para seus reprodutores. Para superar as promessas é básico que o veja jogar, só dessa forma poderá analisar adequadamente e decidir se está a altura do que considera um galo superior.
 
GOPES DELIBERADOS
Isto tem muita relação com a pontaria dos tiros. Várias vezes se vêem uma pelea praticamente definida, quando de repente um tiro muda tudo. Regularmente não há tal sorte, isso demonstra o quão valioso é este galo que possui esta característica de disparar tal tiro deliberado. Procure isso em seus reprodutores.

CONSERVAR A FORÇA DOS DISPAROS
Em muitas ocasiões já vimos um galo bonito, forte, espigado, saudável, que em poucos minutos de pelea não levanta mais os pés com a mesma força nem na mesma altura do início do combate. Comenta-se “falta condição”, “está caído”, a causa verdadeira pode ser uma atrofia dos músculos e mesmo com exercícios não melhora muito seu desempenho. Esse defeito é possível de se erradicar mediante cruzas com galinhas completas, sem essa deficiência. Evite este sério defeito em seus reprodutores.

PROPORÇÃO E EQUILIBRIO
É de grande importância hereditária, para que um galo seja efetivo em combate que este não tenha defeitos em sua proporção física e em seu equilíbrio. Igualmente seus filhos podem ser desproporcionados e em conseqüência pouco efetivos em combate.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
Muitos ao abordar a criação de galos descrevem as características físicas que um galo deve possuir. Estes consideram esses requisitos como de primeira importância. Minha opinião é que isto não é o mais importante. Os competidores de várias modalidades possuem uma variedade de cores e formas, o que na verdade importa é o seu desempenho. As características físicas são importantes até certo ponto para que permitam ao galo atuar com mais facilidade e efetividade. Não criamos animais para concurso de beleza, e sim para que ganhem os combates. Possuir certas qualidades físicas é a garantia que o galo não estará fazendo um grande esforço contra uma certa deficiência sua.

CORPO 

O galo deve possuir um corpo arredondado com quilha relativamente curta, esta conformação lhe confere um bom equilíbrio. Não deve possuir lombo largo e peito muito pesado. Uma boa conformação é uma vantagem que proporcionará ao galo facilidade de movimento. Um galo de quilha muito proeminente é sempre pouco efetivo em seus golpes.

ESPIGA

Gosto do galo espigado, porém não excessivamente. Sua espiga deve ter origem no fêmur (coxa) e não na cana da parte escamosa (canela). São os músculos da coxa longa que permitem alcançar seu oponente a uma maior distância. Igualmente essencial é que tenham a curva (coxa/canela) em forma pronunciada. Isso parece ajudar muito na habilidade cortadora. Não conheço um galo com patas retas, semelhantes a uma cegonha, que seja cortador. Se o galo é “pata aberta” é um bom sinal, esse aspecto não é muito bonito, porém quase todos os pata aberta são cortadores. Alguns criadores preferem que seus galos tenham o calço baixo, conferem isso para serem mais pegadores (juntadores). Provavelmente está certo, mas creio que o mais importante, algo essencial é que suas pernas estejam colocadas apropriadamente em forma tal que permita guardar um equilíbrio perfeito. Outra coisa que devemos observar é a forma como o galo caminha. Se põem uma pata perfeitamente reta, frente à outra, de forma tal que suas pegadas tracem uma linha reta (estilo de aminhar índio), isso é um bom sinal, se caminha com as patas separadas semelhante a um “bulldog”, isso não agrada.

PENAS
Qualquer êxito que alguém tenha tido na criação de galos combatentes, certamente isso ocorreu com animais de penas fortes e de cor intensa. As penas não podem ser excessivamente largas, fosca, felpudas, brandas ou delgadas que fazem ondas. Este último, geralmente está associado a uma debilidade em sua constituição.

GENERALIDADES
Há outras características físicas que seguramente já se ouviu falar como: cabeça pequena, cauda tal e em qual posição, asas caídas, etc. Acima disso tudo estão as qualidades demonstradas em combate e em um nível muito superior. São esses animais que devem ser levados a reprodutor. Todos querem animais bonitos, porém as características e qualidades para a pelea vêem em primeiro lugar. Não é fácil descrever com palavras ou por escrito a importância dessas características. Em termos gerais, devemos observar muito a posição das pernas em relação ao tronco, de forma que o peso do animal fique bem repartido, que não tenha mais peso para frente do que para trás. Ou seja: se observarmos um pato veremos que este tem as pernas muito atrás, o qual é ideal para nadar e não para caminhar e atirar golpes com as mesmas. Um galo com forma bem repartida lhe proporciona facilidade e rapidez para fazer seus disparos.
Há famílias superiores a outras nesse respeito, procure ter nas suas essa qualidade. Isso refletirá no desempenho de seus galos.Quando existe esta deficiência na família, é muito difícil elimina-la.

PESO E TAMANHO
Não gosto de por na cria galos muito pesados. O peso e tamanho pode ser adequado conforme as galinhas em cruza. O galo deve ser ativo e cortador, de preferência com todas as características físicas já descritas. Seu peso e tamanho não é o mais importante e sim sua força e conformação.

JUVENTUDE x IDADE

Especialmente quando se trata de reprodutores, sou favorável à juventude.
Seguramente já se ouviu falar de um famoso galo que custou uma fortuna ou de uma galinha que embora já velha venha dando filhos fenômenos, etc. Tenho muito respeito pelos bons reprodutores.
Por experiência, meus melhores galos são frutos de animais jovens. Já conservei reprodutores por vários anos, o fato é que ano após ano a qualidade de suas crias vem baixando, por isso, prefiro para recria os descendentes dos primeiros anos.
Em minha opinião muitas famílias boas de galos vêm se perdendo por causa de reprodutores velhos. Procure perpetuá-los com o uso de exemplares jovens, produto de bons reprodutores. Isto é especialmente válido com respeito as fêmeas, que embora mantenham aspecto de frangas, sua capacidade reprodutiva vem se deteriorando.Por razão que desconheço os
galos retém por mais tempo a capacidade reprodutiva, as vezes por toda a vida.Sei que existem exceções à regra, e muita gente poderá apontar evidências contra essa afirmação. Creiam, isso é minha experiência.

Formação do genótipo do criadouro

Todos os criadores de galos buscam a formação de um GENÓTIPO próprio para o seu Criadouro. O Genótipo é a sua “Marca Registrada”. Para a formação desta “Marca Registrada” devem simplesmente adquirir aves portadores de herança genética de sua preferência como ponto de partida para a formação e desenvolvimento do seu criadouro que se encontra em formação.
Pode-se ainda proceder ao aperfeiçoamento do genótipo adquirido como forma de tornar-se um criador representante daquela “Linhagem”, no entanto, a aquisição de genótipos desenvolvidos por outros criadores como ponto de partida para a criação, tem sido cada vez mais freqüente entre os criadores por agregarem valor aos seus descendentes. O desejo de cada um é possuir aves com características próprias, portanto é indispensável que se faça uma escolha tecnicamente correta na hora de se adquirir um galo combatente.
Buscamos identificar (descobrir) entre os padreadores e matrizes que dispomos, as melhores combinações de Genes,(combinações gênicas) capazes de se manifestarem espontaneamente na progênie. Todo o trabalho é voltado à investigação e identificação da melhor composição genética que podemos dispor para a formação do Genótipo do nosso criadouro.
Esta combinação deve atender aos nossos critérios de qualidade já ue dispomos de um plantel (banco genético) e exercemos sobre ele um total controle, podendo conduzir de forma criteriosa os cruzamentos definindo quais genes irão compor a progênie de cada acasalamento. Sabemos que determinada progênie será parecida com seus pais mediante princípios de hereditariedade e que, os pais são do jeito que são porque também herdaram qualidades defeitos dos seus, logo o processo de hereditariedade se renova a cada cruzamento e podemos interferir em busca da Composição Gênica que melhor se enquadre às nossas exigências, podemos planejar quais fatores genéticos comporão a progênie da próxima ninhada e que seguramente serão herdados dos Pais. Fica claro mediante o exposto que, a qualidade de uma progênie é determinada por sua herança genética que se manifestará no momento oportuno e, caberá ao criador selecionar os indivíduos mais representativos e portadores dos fatores
genéticos desejáveis para constituírem ao longo do desenvolvimento da criação o seu plantel. A este conjunto de ações planejadas denominamos de Seleção Genética.

Seleção genética

Devemos no início da Estação de Cria escolher criteriosamente o genitor mediante análise do seu genótipo. Este Galo deverá representar o melhor que podemos conseguir em termo de “Pedigree” (conjunto de todos os seus ascendentes). Esta escolha criteriosa deverá garantir a correta combinação de gens que comporá o genótipo que se pretende produzir. O genitor escolhido deve ser o mais perfeito representante das qualidades que o credenciará a desempenhar a meritosa função de padrear todas as progênies da Estação de Cria; em outras palavras, será ele o pai de todas as gerações da Estação de Cria em questão.
Todas as matrizes deverão ser testadas em busca da identificação daquelas cuja progênie exibirá as boas características latentes em seu genitor. Cada cruzamento deverá ser lançado em livro de Registro Genealógico do Criadouro contendo todos os dados do genótipo do padreador e da matriz envolvida em cada cruzamento. Efetua-se a resenha das características que se objetiva conseguir na progênie. Sabemos que não existem galos ou galinhas geneticamente perfeitos, cada ave é composto por boas e más heranças genéticas, portanto selecionamos aqueles portadores das heranças genéticas desejáveis e eliminamos da criação os portadores das heranças indesejáveis, com tais comportamentos estaremos praticando a Seleção do Plantel.
Após efetuarmos no final da estação de cria a seleção de todas as progênies, reservamos as (F-1) irmães de ninho dos pintinhos machos considerados portadores dos fatores desejáveis para cruzarmos no ano seguinte com o pai objetivando a fixação destes fatores. Tal prática nos assegurará após alguns anos a formação do Genótipo previamente planejado e geneticamente estabilizado, podendo ser produzido por várias gerações.

5 Response to "CARACTERÍSTICAS DE COMBATIVIDADE"

  1. cara que raça mais tiro aucelio rocha me add no face

    Parabéns amigo , sua reportagem e ótima! , e também de grande ajuda para aqueles que assim como eu, são apaixonados por esses animais magníficos, obrigado.

    eu aprendo muito com isso...

    Faço das palavras de Bruno Vasconcelos, as minhas palavras, é completo a sua elaboração sobre aves de combatentes. Muito bom mesmo.

    Olá sou um fan dessas aves combatentes estou querendo entrar no ramo, por isso quero aprender com os melhores que são vocês alguem ai me add no face Jerfeson Vieira é so falar que cria galos que aceito o pedido.

Postar um comentário

Powered by Blogger